BEM VINDO AO GRUPO NOVA ESPERANÇA

BEM VINDO AO GRUPO NOVA ESPERANÇA

O "Nova Esperança" é um grupo de acção social e caritativa. É uma expressão pastoral da Paróquia da Baixa da Banheira. A força de acção que lhe dá vida é totalmente voluntária. Os seus elementos, de diferentes faixas etárias, com variadas categorias profissionais, completam o puzzle do "amor ao próximo" no encontro com múltiplas situações sociais, de dor humana, marginalidade, pobreza, desemprego, toxicodependência, de falta de habitação e de bens essenciais à vida.
O encontro dos elementos deste Grupo com aqueles que nos batem à porta, acontece num clima de vida, de uma nova esperança, de dignidade, tendo como pano de fundo o olhar terno e meigo de Deus.

“DOIS GRUPOS UNIDOS EM ORAÇÃO”

Na passada terça-feira, o "Grupo de Oração do Renovamento Carismático da Paroquia da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira", deslocou-se às instalações do "Nova Esperança-Grupo de Apoio Fraterno" a pedido deste, para se unirem numa só voz e de mãos dadas, coração com coração em suplica ao Espírito Santo com cânticos de louvor, para pedir a graça de chegarem mais alimentos a este grupo e matar a fome a tantos irmãos, que a ele recorrem, sem muitas vezes ter como os ajudar.



Jesus disse: Tudo o que fizerdes a um dos mais pequeninos é a mim que o fazeis. E disse também: pedi e dar-se-vos-á. Por isso, este pedido feito ao Senhor em oração, invocando o Espirito Santo, foi um ato de fé e de esperança neste tempo de crise. Foram de facto momentos de grande fervor e emoção. Estiveram presentes cerca de trinta pessoas que puderam sentir a força que emanava do alto.



Os instrumentos fizeram-se ouvir, e as vozes soavam em louvor e suplica, bem ao jeito do Renovamento Carismático, uma união de sons, partilha de sentimentos, testemunhos e amor fraterno. A palavra de Deus fez-se presente pela voz do Frei José Carlos, numa passagem Bíblica que nos mostra bem o poder e a força de Deus. Foi feita a reflexão da mesma. Cada irmão pôde partilhar o que a palavra lhe dizia. Mais de duas horas unidos em oração neste encontro, que passaram tão rápido, que o tempo deixou de existir. No final fez-se uma colecta a favor dos nossos irmãos mais desfavorecidos, para comprar alimentos de primeira necessidade.



É assim que o Nova Esperança-Grupo de Apoio Fraterno quer estar na Igreja de Jesus Cristo, na partilha, no diálogo, aberto a todos os movimentos da comunidade, para poder partilhar e escutar os problemas que possam surgir e com amizade fraterna poder ajudar e ser ajudado quando for necessário. Este grupo está comprometido com a caridade, e sem a ajuda da comunidade dificilmente o poderá fazer.


A caridade tem de estar no coração de cada cristão. Nenhum cristão pode realizar a sua missão sem uma abertura permanente às interpelações do serviço fraterno.


Como alguém dizia: a caridade não é apenas uma consequência da fé. É fé em acção.


Obrigado a todos que estiveram presentes nesta oração e a todos aqueles que desejariam estar e não puderam.

"VOLUNTÁRIOS DO GRUPO NOVA ESPERANÇA EM FORMAÇÃO"


Nos dias 8 e 15 de Junho de 2014, os voluntários do "Nova Esperança-Grupo de Apoio Fraterno" estiveram numa acção de formação, ministrada pela "Professora Victória" da "Cáritas Diocesana de Setúbal".

Estiveram presentes cerca de 20 voluntários, que participaram nesta formação com grande interesse pelos temas apresentados.

No final desta enriquecedora formação, este Grupo Paroquial de Acção Social ficou ainda com mais certeza, de que está no bom caminho e procurará aperfeiçoar-se cada vez mais.

A professora Victória mostrou os caminhos a seguir na ajuda às famílias carenciadas e deu também algumas ideias que irão ser postas em prática por este grupo.

O Grupo Nova Esperança agradece à Professora Victória, pelo tempo que disponibilizou na formação dos seus voluntários e pelo seu excelente desempenho nesta acção de formação.

«NOVA ESPERANÇA EM COLABORAÇÃO NA 28ª CAMPANHA DO BANCO ALIMENTAR CONTRA A FOME»


No passado fim-de-semana, dias 31 de Maio e 1 de Junho, os voluntários do “Nova Esperança-Grupo de Apoio” da Paróquia da Baixa da Banheira estiveram à porta dos supermercados, em colaboração com o Banco Alimentar Contra a Fome. É sempre com muito gosto e alegria que estes voluntários participam, há alguns anos, nas campanhas de recolha de alimentos em favor das famílias carenciadas.

Além dos voluntários do Nova Esperança, algumas pessoas juntaram-se a estes na recolha dos alimentos. A todos eles os nossos agradecimentos. Queremos agradecer também aos escuteiros da Baixa da Banheira, pela sua ajuda em mais esta campanha.

Apesar da crise, foram recolhidas 2081 toneladas a nível nacional, o que revela que o povo Português continua a ser solidário.

BEM HAJAM TODOS OS QUE ESTIVERAM SOLIDÁRIOS EM MAIS ESTA CAMPANHA!!!

"MISERICÓRDIAS EVITARAM FOME GENERALIZADA"

Segundo Manuel de Lemos, a crise implicou «coisas muito graves e difíceis»

As Misericórdias foram a «almofada social» em Portugal e contribuíram para evitar a «fome generalizada» no país, nos últimos três anos, que a crise tornou «muitíssimo difíceis», disse hoje o presidente da união que representa aquelas instituições.

«Em boa verdade, fome generalizada em Portugal não existiu. Se não houvesse as Misericórdias e as Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS), teria havido», afiançou à agência Lusa Manuel de Lemos, presidente da União das Misericórdias Portuguesas (UMP).

Portugal, afirmou o responsável, passou por «três anos muitíssimo difíceis», por causa da crise, e as Misericórdias foram a grande almofada social do país».

Segundo Manuel de Lemos, a crise implicou «coisas muito graves e difíceis», mas, neste período, «aumentaram as respostas sociais» para apoiar os mais carenciados.

Uma das respostas foi a criação de cantinas sociais pelas Misericórdias, as quais possuíam dois desses equipamentos, antes da crise, mas que têm agora 140 em funcionamento, exemplificou o presidente da UMP.

«Houve um aumento brutal das cantinas sociais», sublinhou, enfatizando que as Misericórdias têm dado uma resposta «muito flexível» nesta matéria, conseguindo ajustar o número de refeições servidas à oscilação da procura.

Um inquérito promovido pela UMP junto das 397 Misericórdias espalhadas pelo país permitiu apurar que estas instituições apoiam socialmente mais de 150 mil pessoas por dia, em diversas áreas.

Os dados, a apresentar no XI Congresso Nacional das Misericórdias, que decorre em Évora, entre quinta-feira e sábado, indicam que estas instituições apoiam 40.008 pessoas na área da família e comunidade, recebendo quase 24 mil delas refeições diárias (9.131 em cantinas sociais e 14.811 através de 128 programas alimentares).

No que respeita à terceira idade, área que encabeça a lista de apoios fornecidos pelas Misericórdias, há um total de 58.443 beneficiários: 28.173 pessoas apoiadas em 501 lares, 17.503 mediante apoio domiciliário e 9.313 em 359 centros de dia.

O setor da infância e juventude totaliza 42.331 pessoas, destacando-se 16.969 crianças em pré-escolar e 15.333 em creches.

As Misericórdias prestam também apoio a 2.763 pessoas com deficiência (lares residenciais, serviços domiciliários ou atividades ocupacionais) e a 1.708 crianças ou jovens em risco e em perigo (centros de acolhimento temporário ou lares).

No setor da saúde, em que 19 Misericórdias gerem 22 unidades hospitalares, o estudo refere que, no ano passado, foram realizadas 710.340 consultas, 43.599 cirurgias e 266.834 atendimentos em serviços de urgência, além de exames complementares de diagnóstico e de terapêutica.

As Misericórdias asseguram ainda «grande parte das camas (3.433) disponíveis» no âmbito da Rede Nacional de Cuidados Continuados, tendo aumentado «muito», nos últimos anos, o número de unidades que prestam este apoio: «Temos aberto uma média de 10 por ano», frisou Manuel de Lemos.

Fonte: TVI 24

NOVA ESPERANÇA CONTINUA A ALIMENTAR ESTA IDEIA!!!


Nos dias 31 de Maio e 01 de Junho de 2014, decorrerá mais uma campanha de recolha de alimentos à porta dos supermercados, promovida pelo "Banco Alimentar Contra a Fome".

Os Voluntários do "Grupo Nova Esperança" irão colaborar nesta iniciativa, com grande empenho e dedicação, como habitualmente, nos seguintes supermercados:    
  •     Continente de Alhos Vedros;
  •          Lidle da Baixa da Banheira;
  •          Minipreço Parking da Baixa da Banheira;
  •          Minipreço da Rua Padre José Feliciano da Baixa da Banheira.
Participe em mais esta campanha, ajudando os mais pobres. Seja generoso!!!

UMA SANTA E FELIZ PÁSCOA...


O Nova Esperança - Grupo de Apoio Fraterno da Paróquia da Baixa da Banheira, deseja a toda a comunidade, benfeitores, leitores e amigos, uma Santa e Feliz Páscoa!

"NOVA ESPERANÇA" ENCERRA NA SEMANA SANTA


"Nova Esperança - Grupo de Apoio Fraterno", encerra na "Semana Santa, de 14 a 19 de Abril", para que os seus voluntários possam viver intensamente esta semana, em adoração a Cristo, Nosso Senhor. Reabrirá no próximo dia 21 de Abril, para continuar o seu trabalho de apoio às famílias carenciadas desta paróquia da Baixa da Banheira.

"D. GILBERTO REIS", BISPO DA DIOCESE DE SETÚBAL, VISITOU O GRUPO "NOVA ESPERANÇA".



Foi com grande prazer, que recebemos a visita do "Sr. Bispo D. Gilberto Reis" nas nossas instalações do "Nova Esperança". Estiveram presentes, além do Sr. Bispo, 18 dos 33 elementos que compõem este grupo de voluntários, o Pe. Emídio Morais dos Santos, pároco desta paróquia da Baixa da Banheira, o Pe. Pedro Ferreira e o Frei José Carlos Faria.

D. Gilberto Reis, depois de cumprimentar todos os presentes, fez-nos algumas perguntas sobre o grupo e o seu funcionamento, dando-nos preciosos conselhos sobre a forma como devemos acolher os nossos irmãos mais desfavorecidos, e a forma de os integrar em pleno na sociedade. Salientou ainda, que devemos ter uma igreja pobre para servir os pobres, e que devemos sempre dar uma palavra de esperança e de fé em Deus, a quem nos procura. Leu alguns trechos do livro do Papa Francisco, “Alegria do Evangelho”, onde sua Santidade nos convida a cuidar dos mais débeis, os sem-abrigo, os toxicodependentes, os refugiados, os idosos cada vez mais abandonados e as crianças.

D. Gilberto Reis sugeriu várias actividades a desenvolver no grupo, e que a comunidade se sinta envolvida na acção social desta paróquia da Baixa da Banheira.

Ficámos com o coração confortado pelas palavras carinhosas do nosso pastor, que com a ternura de um pai, nos soube incentivar a continuar este trabalho de ajuda aos mais pobres e abandonados, trabalho este, que por vezes se torna tão difícil.

Antes de se retirar, cumprimentou carinhosamente cada voluntário, visitou as instalações, pediu que rezássemos por ele, e que o grupo não descurasse a oração. Obrigado Sr. Bispo pela sua presença e reze também por nós.